sexta-feira, abril 05, 2019

122 DO LISBOA PARTICIPA

Aqui fica o texto do nosso maior artista plástico de rua com vertente ecológica, o Bordalo II, apelando ao envio de um sms gratuito para o nº 4310, escrevendo apenas este texto: 122 :

PROJECTO PARA VOTAR NO LISBOA PARTICIPA:
O que vos proponho resulta do contacto que tive recentemente com o projeto @casaamarelaprovidencia , no Rio de Janeiro, onde o artista @jr em conjunto com a comunidade local criou um espaço independente, livre e de acesso gratuito onde as crianças possam ter acesso à Arte, à Cultura e à Educação, independentemente da capacidade financeira das suas famílias. Desta forma, e através da arte é possível ensinar, transmitir experiências e valores às gerações mais novas, algo que considero muito nobre.
De acordo com este princípio, lanço este desafio semelhante, criar um espaço onde se possam dar oportunidades às crianças de Lisboa a viverem novas experiências.
O Projeto 122 é a construção de um espaço sustentável e amigo do ambiente, onde artistas podem ter os seus estúdios de trabalho, e em vez de pagarem uma renda, possam pagar com um número de aulas semanais para grupos de crianças, ensinando técnicas de trabalho em madeira, cerâmica, pintura, música, dança, e as infinitas expressões artísticas exploráveis.
Obrigado,
Bordalo

Quem puder ajudar este projecto, dando um par de minutos e votando, estará a contribuir à sua maneira. Fica aqui o link (clicar aqui) para a página de Facebook do Bordalo II, para quem ainda não conhece pode ver muitas fotos. Mas também já falei aqui no Malfadado deste grande nome das artes. Para participar no orçamento participativo de Lisboa, a capital, todos podem dar a sua opinião. Eu já dei a minha.

quinta-feira, abril 04, 2019

quarta-feira, fevereiro 20, 2019

REÑOÑAS

Para memória: Reñoñas (Idanha-a-Nova 25.04.2003 - Coimbra 19.02.2019)

A Reñoñas devia o seu nome ao facto de ter sido adoptada de forma algo "brusca" e estar sempre a miar com um "renhau" metida atrás e debaixo das mobílias. A gatinha foi uma oferta de amigos, e foi uma segunda escolha. De facto, antes da Reñoñas, os nossos amigos tinham oferecido uma outra gatinha bebé, mas já vinha doente e fraquinha e não aguentou muito mais do que um par de horas. A gatinha tinha sido pedida para fazer companhia à São (na foto selfie, no tempo das fotos com negativos...)
, que já muito afectada pela ELA andava muito triste pelo facto da nossa gata Cinha ter desaparecido de vez há algumas semanas (pois, mas a Cinha acabou por aparecer, passado quase um ano!!!). E nada como ter outra gatinha. Voltámos a casa desses amigos e comunicámos a morte da bichinha que tinhamos levado, e dizem-nos que têm uma outra ninhada de gatos na garagem, mas são bravios e ninguém os consegue agarrar. Mas eu digo que vou tentar e lá vou eu. Sem luvas! Lá vejo a gata mãe a esgueirar-se atrás de umas caixas, e os gatinhos um a um atrás dela. Posiciono-me bem entre umas outras caixas, a gata mãe passa, passa um gatinho e o segundo que ia a passar, ZÁS!, leva com a minha mão em cima e agarro-o pelo cachaço e puxo rapidamente para fora, saio logo da garagem e trago para dentro do carro, e arrancámos de seguida para casa, onde a soltámos. Claro que andava por ali a miar e demorou um bom par de dias até se chegar a nós. E nesse par de dias ganhou o nome de Reñoñas, com ñ español, porque gostávamos muito da vizinha cultura espanhola.
A Reñoñas viveu muito bem e fez uma boa companhia por onde passou. Preparada para não espetar as garras nas pernas, não tinha medo de nada e gostava de andar de carro nos nossos passeios. Por duas vezes, sempre na zona de Coimbra, que saiu do carro e andou por ali uns dias até ser recuperada na mesma zona, e uma vez fugiu de casa, em Santa Clara - Coimbra, e andou desaparecida umas semanas até que voltou muito magrinha, mas voltou. Foi nessa altura que deixou a sua casa e foi para casa dos avós (os meus pais), uma vez que a sua fuga estava ligada a ser escorraçada pela Cinha, que tomou conta do novo espaço. Muito mais tarde ficou com alguns medos, e até de uma gatinha que veio da Croácia, nesse dia teve uma reacção mesmo estranha, escondendo-se atrás dos livros na estante e não saía de lá. A Reñoñas só deixa boas memórias. E como pesquisando na net aparecem poucas coisas, aqui fica este artigo no Malfadado, que assim se junta a uma foto publicada na plataforma Olhares (clicar aqui para ver esta foto). E fica ainda esta galeria com fotos recentes:



segunda-feira, fevereiro 18, 2019

TODOS LO SABEN - REPOUSAR EM VISEU

Voltámos a Pousar em Viseu. Relax e águas quentes, para preparar corpo e espírito para o renascimento de Primavera. Ao final de uma das tardes fomos ver este filme de um realizador iraniano, reconhecido por criar tramas familiares com grande profundidade emocional. Dizem os críticos que não é o melhor filme do realizador, mas para quem não viu os outros este filme é muito bom e tem um trabalho de excelentes actores que é irrepreensível. Deixo aqui o trailer e o conselho para que vejam:


domingo, fevereiro 17, 2019

EM MEMÓRIA DE ROSANE SANTIAGO SILVEIRA - IRMÃ NA LUTA AMBIENTAL

Rosane Santiago Silveira (link para notícia on line com alguns dados biográficos) foi torturada e morta em sua casa. Ela lutava contra a exploração predatória em área extractivista da região por plantadores de eucaliptos. Claro está que no Brasil dos eleitores de Bolsonaro as coisas só podem piorar. Ainda ontem divulgava aqui uma coisa cultural de resistência e homenagem a mulheres activistas do Brasil...
Em Portugal quase não houve resistência às plantações de eucaliptos, e hoje choram-se lágrimas de crocodilo nos corredores da política pelos mortos dos grandes fogos de 2017, mas também pela desertificação e abandono das terras do interior. As grandes multinacionais das indústrias da celulose só pensam numa coisa: fazer dinheiro sem olhar para o equilíbrio que vamos precisar no futuro... para termos futuro.

sábado, fevereiro 16, 2019

DEPOIS DO NATAL, O CARNAVAL

Tanta mulher nesta música do grupo Vozeiral. É a marcha proposta pelo grupo para o ano de 2019. Gente que resiste, no país que ri p'ra não chorar.

sexta-feira, fevereiro 15, 2019

NOVO LIVRO INFANTIL DA CELESTE - DIREITOS DAS CRIANÇAS

Uma edição importante, um trabalho que saiu este mês, está fresquinho e já está nas livrarias pelas edições D. Quixote.

Nenhuma descrição de foto disponível.




Para quem prefere comprar on line, aqui fica já o link (clicar)


Estejam atentos às crianças e a esta escritora Celeste de Almeida Gonçalves, desta vez com o seu imaginário ilustrado pela Sandra Serra.

quinta-feira, fevereiro 14, 2019

GRETA THUNBERG - POR DAVID SUZUKI - ACTIVISMO AMBIENTAL

Grande activismo este de fazer greve às aulas, para forçar os políticos a fazerem algo de muito concreto sobre a questão ecológica. Claro que estas coisas não chegam aos portugueses, pelo que nos ficamos por ver as notícias do que se passa lá fora.

Num artigo intitulado "As crianças devem ser vistas e ouvidas", o famoso activista David Suzuki (link para wikipedia clicar aqui) fala sobre estas greves e cita a  famosa adolescente sueca Greta, quando ela apresenta uma boa resposta aos que a acusam e a outros jovens de serem simplistas: "Vocês dizem que nada na vida é preto ou branco", disse ela aos representantes das elites abastadas, em Davos. Mas isso é mentira. Uma mentira muito perigosa. Ou evitamos 1,5 C de aquecimento ou não o fazemos. Ou evitamos desencadear essa reação em cadeia irreversível além do controle humano ou não o fazemos. Ou escolhemos continuar como uma civilização ou não. Isso é tão preto ou tão branco quanto possível. Não há áreas cinzentas quando se trata de sobrevivência ”.

O artigo, em inglês, está publicado aqui (link para página da Fundação D. Suzuki).

Como a GretaThunberg (link para videozinho de resumo) diz : “Algumas pessoas dizem que devemos estar na escola. Mas por que deveríamos estudar para um nosso futuro que em breve não será mais? E quando ninguém está fazendo nada para salvar esse futuro?"

quarta-feira, fevereiro 13, 2019

ZEYNEP TUFEKCI EM LIÇÃO SOBRE NET E CONTROLO DAS MENTES

Tinha que ter uma chamada de atenção para esta excelente conferência aqui no Malfadado. 23 minutinhos. Esta investigadora, tecno-socióloga turca, é um nome de referência. A reter e a ouvir mais vezes sobre estas questões.

Uma das coisas que podemos fazer é não ver coisas na net que não sejam exclusivamente aquelas que nós procuramos.


terça-feira, fevereiro 12, 2019

PET SHENANIGANS - TEATRO E CIRCO COM ANIMAIS DE COMPANHIA

Um dia vou estar envolvido numa actividade que tenha a participação de animais de companhia treinados para darem o seu contributo numa encenação. Já sonhei com uma coisa dessas aqui para o concelho de Vagos, mas tenho que a passar para escrita e tentar envolver a comunidade. É um projecto de educação e desenvolvimento, para a promoção da curiosidade científica e da defesa do ambiente. Enquanto isso não acontece, aqui fica este vídeo deste espectáculo de puro entretenimento:


segunda-feira, fevereiro 11, 2019

FOTO DE FAMÍLIA

Às vezes gosto de apanhar fotografias dos amigos e transformá-las um pouco. Quem conhece alguma destas melhores amigas para sempre?

domingo, fevereiro 10, 2019

WOMAN AT WAR, FILME REALIZADO POR BENEDIKT ERLINGSSON

Um dia destes o Parlamento Europeu ofereceu entradas para ir ver este filme, vencedor de um prémio instituído pela mesma instituição, o prémio LUX 2018. Muito bem realizado o filme, com apontamentos de grande originalidade no aproveitamento das grandiosas paisagens islandesas. Lá fui eu a Aveiro, sem companhia para uma matiné, aproveitar esta borla ainda com direito a um pequeno porto de honra. Fica o registo e o conselho de amigo para verem este filme assim que possível. O grande ecrã favorece por causa das paisagens, mas o enredo e a realização podem ser seguidos em qualquer boa TV.

sábado, fevereiro 09, 2019

EGBERTO GISMONTI E MARIA JOÃO

Há pequenos vídeos que parecem um sonho. Como este em que podemos ver a nossa Maria João a cantar com o inimitável Egberto Gismonti. Filmado em 2017 em Leipzig, são 7 minutos de puro virtuosismo.

Mais um videozinho com a Maria João para a colecção do Malfadado.

Saudações


Egberto Gismonti

letra: Paulo César Pinheiro


Que prazer rever-te
Gozando paz, saúde, amor, felicidade
Ai, que bom, que tremenda saudade
Vontade de beijar você
Cantar, beber, sei lá porque
Me traga a viola, meu trago, meu gole
Vamos comemorar
Nada como regressarmos ao nosso lugar
Vamos comemorar
Nada como regressarmos ao nosso lugar
Ao nosso lar
Ao nosso bar de fé
Ver os amigos
Abraçá-los e chorar de emoção
Lhes contar boas novas
Até lavar meu coração do pó
Das terras onde andei
Repare em meu peito
Hoje estou satisfeito
Cheguei, graças a Deus
Hoje não há ninguém mais feliz que eu
Porque cheguei, graças a Deus
Hoje não há ninguém mais feliz que eu
E volto ao nosso lar, ao no...
Me traga a viola, meu trago, meu gole
Vamos comemorar
Nada como regressarmos ao nosso lugar
Vamos comemorar
Nada como regressarmos ao nosso lugar
Ao nosso lar, ao no…


sexta-feira, fevereiro 08, 2019

PLÁSTICO NOS OCEANOS - HÁ QUE EVITAR

E ao evitar consumir, estamos a dar o nosso melhor contributo. Um filmezinho pedagógico:


e a verdade é que umas boas campanhas como estas acabam por dar algum resultado. A empresa comprometeu-se a dar cada vez mais atenção ao desenvolvimento de soluções em que se reutilizam as embalagens.

quinta-feira, fevereiro 07, 2019

quarta-feira, fevereiro 06, 2019

SEMPRE A CATALUNYA

Prestes a começar o julgamento dos políticos catalães presos pelo estado espanhol, perto da queda do governo "socialista" do Sanchez, e sempre a virar à direita a sociedade espanhola, recupero aqui um texto de 2017 do blogue Grazia Tanta, intitulado "Homenagem à Catalunha" (link clicar aqui). Quando Portugal se põe ao lado do governo espanhol contra a vontade de um povo pela sua autodeterminação e por uma república, acho sempre muito curioso. Ou é a subserviência habitual aos grandes interesses da economia das multinacionais, ou então é porque assim se arranjam intrigas mais graves e lutas internas em Espanha, que finalmente prejudiquem os espanhóis e possamos assim ganhar esta disputa de séculos. Vitória que chegará quando Olivença e os seus moradores peçam para integrar a República Portuguesa, fartos de viver numa Espanha de miséria e guerra civil.